Buenos Aires – Parte II

            Olá prezados, como estão?

 

            Vamos continuar nosso relato, ainda em Buenos Aires, capital da Argentina e uma cidade muito linda e aconchegante.

 

            O primeiro dia, passamos todo conhecendo a parte central de Buenos Aires: Plaza de Mayo, Casa Rosada, Puerto Madero…

 

            Agora é dia de conhecer outra área de Buenos Aires; o Caminito.

 

O Caminito está para Buenos Aires como o Recife Antigo está para Recife. É a parte antiga de Buenos Aires, porém um reduto turístico.

 

 

Entrada do Caminito

 

 

Para irmos ao Caminito, saímos cedo para trocar umas doletas e pegamos o busão para lá.

Aí entramos em um problema: Em Buenos Aires e, acredito, em toda a Argentina, os ônibus não tem cobrador. Ou o cobrador é o próprio motorista ou uma maquina depositária de moedas; que foi o nosso caso.

 

Subimos o ônibus, fomos pagar ao motorista e ele, com toda a paciência característica da sua profissão, nos deixou olhando para aquela maquina sem saber o que fazer.

 

Parece uma espécie de centrifuga, tipo um caça níqueis, aparecendo o valor. Bem, daí, não sabia o que fazer. Colocávamos as moedas e elas eram devolvidas…

 

Deus, nos mandou dois anjos, em forma de senhoras portenhas, que vieram ao nosso auxílio. A primeira quem viu foi Fofinha, e disse: “Acho que elas estão querendo nos ajudar”.

 

Daí elas nos orientaram a usar a maquineta. Tínhamos que colocar as moedas, até dar o valor que estava aparecendo no visor e tinha que colocar rapidamente se não elas seriam devolvidas.

Feito isso, o ticket (ou passagem) cai.

 

            Não preciso dizer que esses anjos, enviados por Deus, nos adotaram. Elas moravam no Caminito e nos apresentaram o bairro. Nos chamaram até para almoçar na casa delas, muito legal, mesmo.

Alem disso, elas nos informaram que o Caminito, não é um bairro muito tranqüilo e que deveríamos permanecer no máximo até as 17:00hs e nunca sair da área especifica para turistas. Diz que rola muita droga e tal. Apesar disso, não presenciamos nada demais; mas permanecemos pouco tempo, como foi sugerido por elas, apesar de, em Buenos Aires, estava anoitecendo as 20:30.

 

 

Hora das compras…

 

 

            Dicas do Caminito? Olha, tem muitas lojas, mas não achei as coisas baratas não. Mas como nossa viagem não foi para compras, também não pesquisei nem pechinchei muito.  Mas tem muitos brasileiros lá. Tanto donos de lojas, como turistas e funcionários. Muitos mesmo. Os restaurantes são típicos e você almoça ou lancha com um casal dançando tango ao seu lado. E, querendo se arriscar, você também pode dançar.

 

 

Almoço com tango

 

 

 

            Por volta das 16:00hs, voltamos para o nosso hostel, para descansar. A noite, não nos arriscamos sair, embora muitas pessoas do nosso hostel saíram e não tiveram problemas. O nosso problema era cansaço mesmo; além disso, eu sou bicho do dia e não da noite. Como no nosso hostel tinham pessoas de todos os cantos do mundo, preferia ficar na cobertura conversando e trocando experiências com essas pessoas de todos os tipos.

 

 

Na cobertura. Acreditem ou nao, sao 20:00hs

 

 

Tinha uma australiana, que veio para a Argentina para visitar o Perito Moreno (Glacial), porque nunca havia visto neve na vida. “A Europa não fica mais perto, me perguntei?” Mas não falei nada.

 

Tinha uma brasileira de SC, que mais parecia uma européia; quando fui conversar com ela, ela disse que era descendente direta de suecos. Ahhh boooommmm.

 

E tinha um alemão que estava a 10 meses viajando e não tinha data para voltar e um americano, que já tinha vindo do Brasil e estava na estrada a 08 meses. O cara bem novo e perguntei se ele não tinha medo de perder o emprego ou como ele fazia. E ele me respondeu: “Quando eu voltar meu emprego estará esperando por mim; e se não estiver, eu arranjo outro fácil, fácil”.

Confesso que deu um pouco de inveja e de raiva do nosso país ser como é nessa área econômica e de desenvolvimento…

            Perguntei o que ele havia achado do Brasil e se ele aprendeu algo em português: Como todos os turistas, adorou a nossa terra, nosso povo, nossa comida, etc.

Quanto ao que ele aprendeu em português, bem, ele me disse duas palavras, com um sotaque muito carregado: “Você fala inglês?” e “Cerveja”. Realmente, somente o necessário.

 

            Enfim, isso resume as nossas noites.

 

No dia seguinte, foi dia de dar um pulo em outra cidade, chamada Tigre. Dentre as suas atrações, destaca-se um passeio de barco pelo rio Delta, cassinos e um parque de diversões imenso.

 

Para chegar a Tigre, pegamos um metrô até a estação de trem; de lá, pegamos um trem até uma área de Buenos Aires que não lembro o nome; essa viagem deu, mais ou menos, 01 hora.

 

 

Tentando ligar para casa…

 

 

Quando chegamos lá, ainda pegamos mais um trem, o trem de la costa, até a cidade de Tigre.

 

Esse passeio, de trem pela costa de Buenos Aires, é muito bacana e tem várias estações onde podemos descer e usufruir de lojinhas, restaurantes, shows, etc. Embora seja para turistas, muitos nativos utilizam. Agora, se puder, recomenda-se fazer esse passeio no fim de semana, pois as lojas, a maioria, ficam fechadas durante a semana.

Querendo, também pode descer e dar um pulinho na praia…

 

            Bem, chegamos, finalmente, à cidade de Tigre.

 

A variedade de passeios é muito grande; logo quando você desce, vem agentes oferecerem seus passeios. Aí é com vocês. Tem, desde passeios de iates, a passeios de jet-ski, catamarã, etc.

            Nos resolvemos fazer uma navegação pelo Delta, somente, com um barco tipo Marina Badauê. É um passeio bem legal. Mas, eu preferia ter ido ao parque de diversões hehehehe.

 

 

Passeio de barco pelo Delta

 

 

            Voltamos para o nosso hostel, pegando os mesmos dois trens, 01 metro e uma caminhada… Jantamos e…. cama! O dia foi longo!!!

 

            Terceiro e ultimo dia em Buenos Aires. Acordamos decididos a conhecer a outra ponta de Buenos Aires, os bairros de San Telmo e a Recoleta, onde também está o cemitério e o túmulo de Evita Perón, Carlos Gardel, dentre outros. Parece brincadeira, mas o cemitério da Recoleta é um conhecido ponto turístico de Buenos Aires.

           

            Porém, antes de sairmos, tivemos um pequeno problema de logística. Carregar as pilhas da máquina digital… O padrão de tomadas da Argentina é diferente do nosso. Então, se for levar algo elétrico, compre um adaptador em uma loja de ferragens quando chegar.

 

            Bem, devido a esse contratempo, tivemos que dar um pulinho na calle Florida, para comprar um adaptador… Bem, resultado, diante de tantas lojas e variedades, passamos o dia todo por lá. Ficamos o último dia em Buenos Aires, literalmente, no camelódromo. Mas valeu a pena.

 

            Aliás, as coisas em couro, sapatos, casacos, muito barato por lá. Vale a pena levar uma mala vazia para encher lá.

 

            Ah, quase ia me esquecendo: os shows de tango. Bem, os shows de tango são muitos para escolher em Buenos Aires e tem para todos os bolsos. Tem opções com jantar, sem jantar, perto ou longe do palco e inúmeras casas de tango. Recomenda-se comprar com antecedência, pois acabam logo.

 

            Nós deixamos essa visita para uma próxima oportunidade, pois os shows em casas tradicionais começavam com 150 pesos. Algo como 130 reais, cada um.

 

CDica para os viajantes: Ushuaia, ou Fin del Mundo, é um destino muito procurado na Argentina. Por isso, recomenda-se procurar comprar as passagens com antecedencia, assim que chegar a Buenos Aires, pois ha dificuldades de voos em determinadas epocas do ano.

Vale citar, que viajar de aviao na Argentina é muito barato, mas temos que comprar lá; comprando aqui no Brasil voce paga ate 3x mais. Destinos aereos dentro da Argentina, Compre na Argentina.

 

Outra dica, que esqueci de citar no post anterior eh sobre onde comer em Puerto Madero. Bem, recomendamos, fortemente, que vcs conhecam o restaurante Siga la Vaca. Sao 20 pesos para comer todo o churrasco que voce conseguir, com cortes diferentes dos que nos estamos acostumados e mais uma jarra de suco e sobremesa. Alem do ambiente ser muito legal. Vale muito a pena. Ah sim, escolha a ala dos nao fumantes, se for o seu caso.

 

 

Almoço no Siga la Vaca: Excelente!!!

 

 

            Nesta madrugada, partimos para Ushuaia, ou Fin Del Mundo, para mais uma etapa da nossa jornada, da nossa aventura.

 

Então, até lá.

 

Abs

 

Rômulo Murdock

 

FORCA SEMPRE

 

In God we trust!

Um comentário sobre “Buenos Aires – Parte II

  1. Pingback: 3 dias em Buenos Aires – Buenos Aires in 3 days « Rolé pelo Mundo – Around the World

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s