Osorno – Chile

         Olá viajantes, saudações!

 

         Estamos de volta ao Chile, desta vez em Osorno.

 

Nesse momento, confesso que estávamos extremamente cansados. Ficar pulando de cidade em cidade, cansa muito mais do que você ficar vários dias na mesma cidade; mas como tínhamos nos planos, conhecer o máximo de cidades possível, fomos seguindo com o plano.

 

As estradas do Chile na região central, pelo menos as que andamos, são muito boas. Alguns pontos com pedágio.

 

Há quem alugue carros e façam a viagem dirigindo pela Rodovia Panamericana. Se for em grupos, acho que é mais vantajoso mesmo. Nessa região, as cidades estão relativamente próximas.

 

Então, vamos saber mais sobre Osorno.

 

 

 

 


 

 

 

Osorno está localizada junto ao Rio Rahué e está próxima de outros belos lagos chilenos, como o Ranco e o Rupanco e, ao mesmo tempo, próxima as praias do pacífico.

Com aprox. 100 mil habitantes,  encontra-se a 910 km ao sul de Santiago. Embora leve o nome do vulcão Osorno, a cidade não tem ligação com o vulcão. A cidade, fundada em 1558 pelo espanhol García Hurtado de Mendonza, foi denominada San Mateo de Osorno.

Osorno tem as quatro estações bem definidas. A temperatura media fica em torno dos 10ºC, ficando mais frio noi nverno, quando atinge graus abaixo de zero.

Possui uma boa infra-estrutura, mas não é um dos pontos mais procurados para fazer turismo no Chile.

Suas atrações são museus, o forte (Fuerte) Maria Luísa e o parque nacional Puyehué, que fica um pouco distante do centro (80kms).

 

 

 


 

 

 

         Descemos do ônibus e parecia que estávamos na rodoviária do Rio de Janeiro. Uma completa bagunça. Gente com dezenas de sacolas, se atropelando para entrar nos ônibus, fumando, uma verdadeira bagunça. Pela primeira vez, durante toda a viagem, fiquei temeroso pela nossa segurança.

 

         Coloquei Fofinha cuidando das bagagens (coitadinha), e corri para comprar nossas passagens para Santiago (sim, o destino era Santiago). Mas, qual não foi a minha surpresa quando não consegui comprar a passagem. Não tinha mais passagem para Santiago naquele dia; somente no dia seguinte.

 

         Parei um pouco para pensar. As coisas não estavam saindo muito bem. Conversei com um e com outro. Conversei com umas americanas e elas falaram que tinham comprado na TurBus. Corri para lá, mas já tinha acabado.

 

         Deu o estalo e fui procurar os balcões de turismo. Lá a moça deu a idéia de seguir para Pucón. Se não conseguisse passagem, pelo menos já estaria na metade do caminho.

 

         Então, lá fui eu comprar as passagens para Pucón. Comprei na TurBus.

 

Com as passagens compradas, fomos conhecer a cidade. Colocamos as mochilas no bom e velho bagageiro, pegamos o mapa da cidade e seguimos para o centro da cidade.

 

         Não sei porque, mas o primeiro lugar que fofinha quis ir foi a um centro de artesanato (artesanía).

 

         O artesanato local tinham pecas em madeira, cobre e pedra. Muito bonitos, mas igualmente caros.

 

         Enquanto Fofinha olhava o artesanato, fui usar o banheiro do centro de artesanato. Daí, tinha uma placa para pegar a chave com fulana de tal.

Fui pegar a chave e ela informa que para usar o banheiro, teria que pagar. Tudo bem, pensei. Naquela altura do campeonato, com o almoço e jantar do dia anterior batendo na porta, eu não iria sair por aí procurando banheiro grátis. Paguei, se não me engano, PC$ 200,00 (duzentos pesos chilenos); mas foram muito bem pagos. O banheiro é limpinho e organizado.

 

         Seguindo o nosso tour pela cidade, mais aliviado, fomos para a Plaza de Armas.

 

Um parêntese: Esqueci de mencionar no post anterior, que o nosso problema com a máquina digital não foi somente com as pilhas. O cartão de memória também tinha enchido. E, embora se encontra com facilidade lugares para descarregar as fotos e gravar em cd, eu ignorei esse ponto por receio, medo de perder tudo, sei lá. Enfim, acabou que eu mesmo comprei mais umas pilhas e apaguei uma reca de fotos (aquelas de besteirol) e diminuí a qualidade para caber mais fotos. Fecha parêntese.

 

         Chegamos a Plaza (praça). Muito bonita, com a catedral ao fundo, pessoas brincando, chafariz, tudo que uma praça precisa ter.

 

 

Locais jogando Xadrez. Tambem tem Ludo, damas, tudo gigante…

Na Praca, com a catedral ao fundo

Visao da praca

 

 

 

         Batemos algumas fotos, ficamos dando um tempo e… o que vemos ao fundo, um shopping!!! Sinais de civilização de consumo!!! Iupiiiii!!!!

Olha, eu que odeio shoppings, fiquei muito feliz quando vi aquele. Fast food, trash food, tudo de ruim e caro… ah que alegria.

 

         Corremos para lá e fomos nos perder no mundo de lojas e pessoas. Bem, minha alegria durou 15 minutos. Tempo suficiente para entrarmos no shopping e fofinha ficar parada diante da 1ª loja que viu, falando de detalhes de roupa, bolsa, etc.

 

         Deixei ela olhando as coisas dela e fui para a loja de eletrônicos. Nenhuma novidade. Aliás, acho que estamos bem na frente deles nesse aspecto.

 

         Sem mais nada que me prendesse a atenção, sentei e esperei Da. Maria terminar de olhar as lojinhas…

 

         Terminado o ritual feminino, seguimos para a praça de alimentação. E aquele cheiro… aaaaaah, o cheiro da praça de alimentação dos shoppings… é igual no mundo todo; de dar água na boca.

 

         Opções de trash-food, das mais variadas possíveis.

Logo de cara, gostei de uma rede de sanduíches chilena que tem como tema, coisas antigas, cartazes, posters, até uma moto tinha. Tudo com tema dos anos 50, 60 e 70. Muito legal. Quem quiser conferir, segue o site do Schopdog.

 

         Bem, almoçamos. Eu, tomei uma sra. caneca de chopp. Ah que saudade de uma boa cerveja… Dêem uma sacada no tamanho da caneca. E olha que tava boa, viu?

 

 

Feliz da vida. Almoçando e tomando uma cerva…

Essa moto é de verdade

 

 

         Alegria de pobre dura pouco. Terminamos o almoço. Como me melei todinho comendo o sanduíche, fui usar o banheiro para lavar as mãos.

Meu amigo, qual não foi a minha surpresa… quando chego na entrada do banheiro, tem um cara sentado e uma roleta para dar acesso ao banheiro. Isso mesmo, uma roleta igual as de ônibus. Ou seja, tinha que pagar para usar o banheiro. Pouco mais de 100 pesos

 

Embora fosse pouco, fiquei revoltado em ter que pagar para usar banheiro de shopping. Peguei toneladas de guardanapo e limpei as mãos como pude, até voltar para a praça onde eu passei uma água.

 

         Nessa de ir ao banheiro e voltar, tinha deixado Fofinha sentada, me esperando. Quando volto, ainda para pegar os guardanapos, tem um garçon conversando com ela (pelo menos tentando).

Dai ela vem e diz para o garçon falar comigo. Ela diz: Romulo, ele esta falando em ingles e eu nao estou entendendo nada.

Ai eu comeco a perguntar o que ele queria… E ele comeca a falar um dos piores “ingles” que eu ate entao tive de escutar. Conjugava os verbos erroneamente; nao utilizava pronomes pessoais; fora o soutaque… Nao dava para entender absolutamente nada.

 

Coitado, ate que tinha boa vontade ou queria praticar o ingles dele, sei la… mas eu o interrompi abruptamente e disse: homi, fale em espanhol que é melhor.

 

Ele sorri e pergunta, em espanhol, se desejamos uma mesa.

Finalmente entendia o que ele queria dizer. Respondi que ja tinhamos almocado. Agradeci e seguimos nosso rumo.

 

          No mais a mais, todos sabem que quando estamos em shoppings, às horas passam rápido.

Voltamos para a rodoviária, onde dei uma parada estratégica em um cyber café próximo para reservar o hostel em Santiago. Se todos estavam indo para Santiago, que não tinha mais opção de ônibus, que dirá de hospedagem.

 

         Reserva ok. Ficamos esperando o ônibus, que atrasou um bocado.

Mas tudo bem; coisas de viagem.

 

Seguimos viagem, dessa vez, para Pucón.

 

Até a próxima

 

Rômulo Murdock

 

FORÇA SEMPRE

 

In God we trust!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s