Rolé por Santiago do Chile: Parte 01

Hola viajantes, saudações.

 

         Chegamos, então, ao ponto final da nossa expedição: Santiago do Chile ou simplesmente Santiago.

 

Santiago: a capital do Chile


 

 

Santiago foi fundada em 1541 pelo conquistador espanhol Pedro de Valdivia que expulsou os índios mapuches, com suas tropas na época da colonização espanhola.

O que hoje é uma metrópole e a quinta maior capital do continente, no século XVI não passava de uma vila com 700 mestiços e cercada por muros para evitar confrontos com os índios.

Sua colonização teve seu crescimento acelerado no século XIX, devido a forte industrialização e com a imigração e migração.

Hoje é uma cidade com aprox. 05 milhões de habitantes.

Santiago não é tão charmosa como Buenos Aires nem tão grande como São Paulo, mas é uma cidade bastante interessante e talvez a capital mais limpa da América do Sul.

Em dias de sol, vê-se a Cordilheira dos Andes circundando a cidade, que é uma visão que impressiona.

Santiago tem as 04 estações bem definidas. No verão, sol e clima seco, com temperaturas em torno dos 25ºC. No inverno, frio rigoroso devido a proximidade com a cordilheira. Segundo nativos, precisa-se usar cobertor elétrico para dormir nos dias mais frios.

 


         Descemos do ônibus e a rodoviária parece mais organizada. Pegamos as nossas mochilas e vamos obter informações sobre táxis.

 

         Tem duas opções de táxi em Santiago. Com tarifa pré-definida na bandeira e com bandeira aberta.

Funciona assim:

Tem um valor pré-definido para distancia percorrida. Ex. PC$ 500,00 x 1,5km, ou seja, a cada 1,5km, paga-se quinhentos pesos chilenos. No pára-brisa dos táxis tem a informação.

Eu não vi remís, por isso não sei se tem ou não em Santiago.

Dentro da rodoviária, tem um balcão de táxis de cooperativa. Daí, conversei com a atendente e, com o endereço nas mãos, perguntei quanto ficaria. PC$ 2,500 aproximadamente, respondeu.

 

Pegamos o táxi e fomos para a nossa hospedaje que tínhamos reservado previamente.

 

HOSTAL SANTIAGO: SANTIAGO, CHILE

 

 

Localização

 

 

Região

:

Metropolitana

Província

:

Santiago

Cidade

:

Santiago

Localidade

:

Barrio yungay

Destinos próximos

:

Santiago e arredores

Zona Turística

:

Montanhas, cidades e vales

Redondezas

:

Urbano, metro e terminal rodoviário

 

Dados do Hostel

 

 

Estabelecimento

:

Hostal santiago

Classe

:

Hostal-residencial

Classificação

:

Sem classificação

Temporada

:

Todo o ano

 

Endereço

:

Compañia 3023

Telefone

:

(2) 6815857

Telefone Info.

:

(2) 6814046

Fax

:

(2) 6815857

URL

:

www.hostalsantiago.cl

e-mail

:

contacto@hostalsantiago.cl

 


           Chegamos nos hostal e, para nossa surpresa, ela diz que estava lotado. Expliquei que tinha reservado e tudo o mais, mas ela disse que não tinha recebido a reserva.

 

Pôxa, estava super cansado e a senhora tinha perdido a reserva… era demais. Sei que ela ligou para um e para outro e acabou achando a reserva.

 

O hostel fica em uma área, que poderia dizer, seria a parte antiga de Santiago. Casarões antigos, com fachadas e janelões.

 

O nosso hostel não era diferente. A dona tinha herdado de seus antepassados e tinha transformado em hostel. Ou seja, ele não foi construído para ser um hostel.

 

O hostel é abafado, pois não tem janelas laterais, os quartos são interligados por grande portas e não tem janelas e os banheiros… bem, são um caso a parte.

 

Então, não recomendo este hostel para os viajantes. Cobra as tarifas de outros hostels bem mais estruturados e confortáveis sem oferecer o mesmo padrão. A vantagem deste é que fica bem próximo a estação de metro e a rodoviária.

 

         Resolvido o problema da reserva, veio a Sarita. Pessoa tão simpática e atenciosa que fiquei feliz e aliviado, pois teria tido a impressão errada dos chilenos.

Adivinha? Ela era Peruana!!!

        

          Bem, resolvido o impasse do quarto, fomos nos aninhar… e quem disse que queria conhecer a cidade??? Que nada. Deitamos para tirar “aquele cochilo” e quando acordei já eram pra lá de 22:00hs. Fofinha continuava dormindo.

 

         Aproveitei e fui acessar a Internet, falar com os amigos e assistir um DVD.

Quando Fofinha acordou, fizemos o jantar e novamente fomos dormir.

 

2º dia, 09:00hs

 

Acordamos e tomamos o café, feito por Sarita. Uma vitamina com torradas. Estava até boa.

 

Peço as coordenadas à Sarita para dar um pulo no escritório da TAM que fica na área comercial de Santiago e depois dar um rolé pela cidade.

 

Ela nos da o mapa da cidade e do metro e explica onde devemos ir.

 

Depois do café, seguimos nosso rumo e vamos para o metro. De dia, o bairro não é nada bonito. Muitas casas antigas, algumas abandonadas… parece periferia mesmo. Mas quando andamos mais um pouco e chegamos na av. Libertador O´Higgins (principal) o cenário muda. O metro, que estava tendo uma exposição de arte então, de primeiro mundo.

 

         Pegamos o metro, fazemos a baldeação e seguimos para o escritório da TAM. Quando saímos do metro, o cenário muda. Parece até que estamos na av. Paulista. Grandes prédios de grandes empresas fazem parte do cenário.

         Andamos mais um pouco e chegamos na TAM.

 

Uma jovem vem nos atender e, eu tento falar em um espanhol horrível, que queríamos confirmar as passagens.

Ela percebe a minha dificuldade e começa a falar em português. Que alívio, pensei. Daí, conversa vai, conversa vem e Fofinha solta um comentário: “Noosssa, parece até que ela está falando português; estou entendendo tudo”. Aí eu me acabo de rir.

“Fofinha, nosso espanhol não está tão bom assim não; ela está falando em português”.

        

         Bem, no fim, foi ótimo termos ido para lá, pois o nosso vôo de volta, estava diferente. Fofinha estava Santiago à São Paulo à Natal e o meu estava Santiago à São Paulo à Recife à Natal.

 

         Graças ao Pai, tinha vaga no meu vôo e Fofinha foi transferida; e o melhor, sem cobrança de diferença de tarifa. Deus é muito bom!!!

 

         Resolvido a parada, fomos conhecer Santiago. E fomos dar umas voltas no centro da cidade.

 

        Muitos prédios antigos, muitas construções atraentes… Mas nada muito envolvente.


Palacio de alguma coisa e ao fundo, um grupo de japoneses

Sede dos Correios

Na Plaza de Armas

Santiago é uma ótima cidade para quem quiser se aculturar. Muitos museus e obras de arquitetura interessante, mas poucas atrações turísticas.

 

 

No centro, é fácil andar com ruas exclusivas para pedestres. Mas atenção: alguns aparentes calçadões são, na verdade, ruas onde circulam carros; sendo fácil levar um susto.

 

É fácil ficar entediado, por isso, resolvemos voltar para o hostel para jantar.

 

Durante o jantar, conhecemos uns viajantes que nos convidam para a balada… pergunte se fomos: fomos nada. Fomos dormir. Muito cansados. Acho que estou ficando velho….

 

No próximo post:

 

Culinária de Santiago;

A volta para casa;

Presente inesquecivel: Um encontro inesperado com o U2.

 

Abs

 

Família Murdock

 

FORÇA SEMPRE

 

In God we trust!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s